sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A Ocupação do CAELL

Galera da Letras, já que é para rasgar o estatuto, por que já não fazem eleições indiretas de uma vez? Ou melhor, por que não fazem um novo estatuto permitindo a reeleição? Sei lá, parece mais sincero.

Entre ontem e hoje parei para ler o programa da tal chapa EntreTantos e tentar perguntar para alguns integrantes se eles achavam certo o que estava acontecendo e o que eles achavam da atual gestão. A análise que faço de tudo o que ouvi e li é bastante desesperançosa para aqueles que pensam no dia em que os alunos da Letras serão realmente representados por aqueles que dirigem o CAELL.

Boa... Vou começar da representação! Perguntei a um dos integrantes dessa chapa (aliás, é tanta gente na chapa e apoiando a chapa, que talvez eles já tenham os 10% dos estudantes para votar e validar o pleito... to com ‘medo’!) se ele achava que o CAELL representava os alunos da Letras. A resposta dele é que a gestão do CA não tem que representar, e sim de fazer com que todos participem... Sei... Achei isso bastante esquisito, mas fui ver o que estava no manualzinho deles... bom... lá eles cobravam que entidades como a UNE e o DCE representassem de fato os estudantes. Bem contraditório, não é?! Eu até achei que foi uma derrapada da fala do ‘camarada’, mas segui em frente...

Esse mesmo rapaz mais outro que estava por ali discutiam como a greve surgiu; e eles perceberam que o que levou a mobilização foi a divulgação durante várias semanas das discussões, das informações, das formas de como podíamos combater os decretos. E a greve só estourou bem depois da Ocupação, pois foi necessário informar a todos o que estava acontecendo e isso não foi feito da noite pro dia. Aí eu perguntei pra eles: “se eles entendiam que era necessário informar às pessoas, dar base das discussões para as pessoas tomarem atitudes, por que eles queriam correr tanto com a eleição, ao invés de fazer todo processo eleitoral com o tempo necessário?” Sabem qual resposta obtive? Que a discussão já tinha sido feita, e se eu quiser mudar algo, que faça parte da chapa que já podia se considerar vitoriosa. E que construísse com eles as novas idéias! Ora, cara pálida, como assim? Só com a discussão anterior às eleições é que vou saber se eles são aqueles que vou poder confiar e cobrar depois as melhorias!

A desculpa principal para as eleições acontecerem agora é a tal da marcha a Brasília que o PSTU participará. Caramba! E o que tem a ver o aluno de Letras com isso? O cara vem argumentar que não seria legal fazer a eleição mais pra frente, pois as chapas que possuem apoio de partidos ligados ao governo teriam maior força na eleição! E eles? Não estão tendo maior força, já que eles armaram essa eleição de forma rápida para só eles estarem organizados? Mais contradição!!!

O pior não foi isso... depois resolvi debater a parte acadêmica com o tal rapaz. Meu Deus! Aí que a vaca foi pro brejo! Os caras consideram o ENEL e o EREL como eventos acadêmicos e não sabem nem da existência do FALE e do GEL! E o pior, ao invés de dar apoio aos alunos para irem ao FALE, GEL, pro próprio SIICUSP, os caras querem inventar um novo congresso sem pedir apoio para esses que já existem ou para pessoas ligadas a esses congressos mais renomados! Caramba! Eles não têm idéia do que é fazer um congresso na USP! Participei na organização de dois Simpósios, e digo que é complicadíssimo arrumar os espaços, apoio, estrutura. A USP praticamente não te dá nada pra fazer isso! Se você quer fazer um evento para umas 150 pessoas, você tem que começar a planejar pelo menos com um ano de antecedência... Eles acham que é só chegar e fazer? Podiam ter, pelo menos, a humildade de procurar a ajuda dos outros congressos ou a humildade de aceitar os outros como eficientes e mandar os alunos pra esses eventos enquanto amadurecem a idéia de um congresso organizado por alunos da Letras.

Enfim... Contradição é o que não falta! Mas o que está bem claro é que a atual gestão está se achando a última bolacha do pacote. O programa da EntreTantos faz com quem o lê confundir às vezes onde termina a Outras Palavras e onde começa a EntreTantos. E os elogios rasgados chegam a enojar quem lê. O melhor são as frases que eles soltam: “somos mais legais, por isso devemos ficar”...!?... “a gestão foi boa para o CAELL”...!?... E para os alunos? Será que contar ser bom para eles? E pro LEAL?

Mas o que mais chateia é que os caras tão achando que os grandes mentores da Ocupação foram eles! Eles abraçaram todo o processo como se eles estivessem à frente dos alunos da Letras, como se eles tivessem sido os seres iluminados que mostraram a Letras o que devia ser feito! O que vimos na verdade foram eles vendendo barato toda a mobilização na reunião anterior ao fim da Ocupação para pegar um pedaço para si do bife da USP! Quero saber que Ocupação foi vitoriosa? O ME no processo da ocupação parecia um doente em fase terminal! Deu uma melhoradinha que empolgou a todos pra logo depois morrer de vez! Como um movimento, que luta pelos direitos e o fim da corrupção, pode deixar as pessoas saquearem o prédio da reitoria, sem as denunciar! E o pior: pede para não punir esses malandros! Mini-Renans!

Parece que essa idéia de ocupação pegou na cabeça do pessoal que está no CAELL atualmente. Eles agora querem ocupar o CA de nossa faculdade, e não querem sair tão cedo de lá! Esse é um dos golpes mais medonhos que eu já vi! Não esperava ver isso na Letras. O ME morre a cada dia com esse tipo de atitude e o engraçado é que o pessoal da EntreTantos leva no peito o símbolo dessa morte, pelo menos para mim.

O Relógio da USP era para ser o símbolo principal da Ocupação se saísse vitoriosa. Mas ele é o símbolo da derrota hoje. O Relógio foi pichado, degradado e está sem funcionar. Da mesma forma está o ME, sujo, quebrado e parado no tempo!

(texto do dia 18 de outubro de 2007, postado na comunidade da Letras-USP)