segunda-feira, 29 de junho de 2009

Michael!

É como está em meu nick no msn, no skype e no orkut e ficará até sexta: ele foi o Jordan, o Senna, o Pelé do Pop. Não quero ser oportunista e nem vou aqui falar que estou morrendo de tristeza por sua morte. Michael Jackson é um ídolo para mim e eu desde criança curtia a música dele. A morte dele se assemelha para mim a morte de um amigo com quem já tinha pouco contato.

Como eu era criança chata (e não poderia dar em um resultado diferente, sou um adulto dos mais chatos), eu não gostava de música de criança e sempre gostei de ouvir o que meus pais ouviam. Meu Tio é fã do Michael, e assim como herdei a paixão pelo Peixe - que veio também do meu Pai, diga-se de passagem-, herdei também admiração pelo cantor. Inclusive, entrei junto com minha irmã no casamento da minha Mãe com meu Tio ao som de Heal the World (ah... e pra quem não entendeu a salada familiar fica para uma próxima entender).

Então, Michael é um som muito importante em minha vida. Não vou chover no molhado ao falar da qualidade dele, gostaria apenas de ressaltar essa importância que ele teve em minha vida, eu que gosto de ligar tudo muito a música. E ao escrever este pequeno texto já repeti aqui umas 10 vezes o som de Will you be there, uma das músicas mais bonitas que eu já ouvi. E eu nem ia postá-la, mas agora ela vai também.



Muitos julgam qualquer homenagem a ele como exagerada, pois sua vida fora dos palcos não foi das mais louváveis, segundo esses que julgam. Pelo que sabemos o Michael ajudou muito em campanhas pró-África e no combate a pobreza que atinge principalmente as crianças. Ele era perturbado como quase todo gênio é e sei que os escândalos em que esteve envolvido não foram simples. Mas prefiro não misturar a vida pessoal dele com a arte dele, até porque ele não permitiu essa mistura.

Eu prefiro pensar que como última homenagem a este monstro na música, seria demais se todos saíssem às ruas com seu som bem alto com uma música dele e fizesse uma dança dele, bem no momento de seu sepultamento.

Fica a dica aí! Seria bonito algo assim.



E não nos esqueçamos que só um grande ídolo é capaz de coisas assim! hehehehehehe...

Saudade dos bons tempos de Mega Drive, ia a casa de um bom amigo, com quem já não tenho contato faz tempo, jogar toda tarde. Engraçado isso..........

Um comentário:

.Carol. disse...

Eu tbm curtia o cara. Não peguei a melhor fase, a fase Thriller, a fase Bad... Mas peguei a fase quando os clipes dele passavam no fim do Fantástico... e eu não acreditava que uma pessoa podia dançar daquele jeito! Ó... fiquei triste mesmo, viu. Bjos!